Solidariedade no Futebol Profissional - Março 2021

O longo mês de março voltou a ser intenso e rico em ações de Responsabilidade Social no Futebol Profissional. Desde logo pela campanha “Racismo Não”, da Fundação do Futebol - Liga Portugal, a que, de pronto, se associaram todas as Sociedades Desportivas: quer envolvendo-se nas iniciativas de jogo, quer partilhando a mensagem da mesma, ou até mesmo desenvolvendo conteúdos próprios, que servem de propaganda ao Futebol sem qualquer tipo de discriminação.

Outras mensagens marcaram o mês de março, algumas por ocasião do Dia da Mulher. Nesse âmbito, o Rio Ave FC recebeu o SC Farense envergando camisolas dos movimentos #naopartilhes e #cortaacorrente pelo fim da partilha de conteúdos íntimos não autorizados.

Já a Fundação Benfica assinalou o Dia da Mulher com uma publicação em parceria com os seus pares europeus, mostrando um cartão vermelho à discriminação. O CD Feirense, por sua vez, publicou um vídeo emotivo pedindo a denúncia de casos de violência doméstica.

Também o FC Vizela decorou o balneário e as camisolas de jogo com nomes de mulheres, entrando em campo com t-shirts alusivas ao Dia de Luto Nacional pelas Vítimas de Violência Doméstica. Lembrou ainda que “calar violência doméstica é pactuar com crime”, entregando, depois, as camisolas para leilão com a verba a reverter para a APAV. David, jogador do FC Vizela, foi quem entregou o contributo à instituição. Já o Colégio Marítimo presenteou as suas colaboradoras com kits de segurança e higiene.

A ajuda aos adeptos não refreou, porém, no último mês, tendo a Fundação Sporting oferecido, no seu estádio, mantimentos e refeições a pessoas sem abrigo.

A Fundação Benfica entregou, desta feita, equipamentos à Médicos Sem Fronteiras na sequência da ação solidária que a equipa Cocoricoó de Futebol Feminino da Beira (Moçambique) desenvolveu aquando do impacto do ciclone Idai, dando ainda seguimento às ações realizadas em parceria com instituições europeias. Foi uma das muitas instituições a integrar esta forte corrente europeia pela solidariedade e diversidade.

Outra importante campanha decorreu na receção do Santa Clara ao FC Paços de Ferreira. Os açorianos entraram em campo com brinquedos em homenagem a todas as crianças que lutam contra o cancro. Iniciativa com a Liga Portuguesa Contra o Cancro - Núcleo Regional dos Açores à qual o clube fará um donativo. Além de continuarem a ajudar instituições através de golos marcados e jogos sem sofrer golos, os insulares também converteram em alimentos os quilómetros até Portimão para ajudar a Associação Cantinho dos Animais.

Já o Vitória SC, em parceria com o Lions clube de Guimarães e a Associação Acreditar, chamou à atenção para o cancro infantil. No jogo com o Gil Vicente FC, e com total anuência dos gilistas, as equipas subiram ao relvado com t-shirts a apelar à causa.

O FC Paços de Ferreira usou o dinheiro da “caixinha” para comprar 75 lanternas LED para os capacetes de proteção dos Bombeiros Voluntários locais. “Um apoio àqueles que durante todo o ano tanto contribuem para a saúde e segurança de todos”, argumentaram os pacenses.

Quanto ao Rio Ave Social continua no caminho da sensibilização para a paramiloidose, doença e Associação que esta época consta nas camisolas vilacondenses como parte do projeto 'Rio Ave Social, não ficando indiferente à luta de Jaime e Leonor, irmãos que têm sensibilizado o Futebol Profissional. Também o CD Nacional ofereceu uma camisola autografada para leilão, bem como o Vilafranquense e o Varzim SC que usaram da sua notoriedade para apelar à ajuda dos tratamentos dos irmãos.

O Boavista Mais Solidário continua de braço dado com a Cruz Vermelha Portuguesa, recordando possível ajuda através do IRS, enquanto o CD Nacional se associou ao Núcleo Regional da Madeira da Liga Portuguesa Contra o Cancro, agora sob a campanha ‘Março Azul’ que sensibiliza para a prevenção contra o cancro colorretal. 

Jogadores do Gil Vicente FC visitaram, por sua vez, idosos da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos alegrando quem mais tem sentido o isolamento. Já o CD Feirense continua ‘titular’ na Responsabilidade Social, voltando a pedir ajuda para o pequeno Gonçalo: partilhou a mensagem de força do treinador Pedro Martins tendo já conseguido recolher uma tonelada de tampas e caricas para ajudar aos tratamentos do especial adepto. Não deixou, ainda, passar em branco a Hora do Planeta, tendo a mascote Billas, ficado às escuras em defesa do ambiente e do planeta. Preocupação ambiental é Responsabilidade Social.

A A. Académica assinalou o Dia Mundial das Doenças Raras- a 1 de março-, publicando fotografia de uma doce adepta, enquanto o Leixões SC se uniu à Associação para o Planeamento da Família e às Seleções de Portugal para promover os workshops online: “A bola é de todos- Reflexões sobre igualdade de género”, participando ainda no workshop “Diversidade, 1-Preconceito, 0”, pelo combate à homofobia no desporto.

Por fim, o Estoril Praia cedeu três camisolas autografadas para leilão- uma delas pelo youtuber Wuant-, para compra de proteção individual para os profissionais de saúde da Cruz Vermelha da Costa do Estoril, solidarizando-se com o CD Feirense; recolheu e entregou tampas e caricas para ajudar aos tratamentos de Gonçalo. Jogadores da equipa principal e sub-23 pegaram, ainda, em pás e enxadas para plantarem 20 árvores num parque de Cascais. O compromisso é plantar uma árvore por cada golo marcado na Liga Portugal SABSEG, pelo que, no final do campeonato, ajusta contas com o meio ambiente.

A Responsabilidade Social está cada vez mais enraizada no ADN do Futebol Profissional, um forte amparo em tempos de dificuldade para muitos. 


Partilhe nas redes